CÍRCULO DO SOL

Eu nasci neste sertão, em meio às sombrias matas de troncos retorcidos, brejo nos quintais e pastos de capim provisório plantados para secar terreno pantanoso. Neste sertão, entre as serranias, o sol encostava na gente e amarelava o chão desnudo, Descalças, nós crianças, brincávamos. O chão “braseante” queimava nossos pés, mas suportávamos bravamente a dor do calor. O mundo era aquilo, o sol para clarear o dia a noite para poetizar São Jorge com seu cavalo envolto em sua imensa bola lunar. Noites bonitas, descansadas, noites boas pra contar “causos”  de assombração. Dormíamos com o medo eternizado em nós. Os pés sempre cobertos… Alma do outro mundo gosta de tocar nos pés que dormem nus. Tirante a labuta de nossos pais, os dias eram sempre iguais e as noites também. Éramos acostumados com a mesmice do mundo; as vezes dava um certo “infaro”, mas que jeito, o nosso “mundo” sempre foi assim, igualzinho… Ah não, às vezes mudava, e isto acontecia quando o sol reluzia em brilho amarelo e de repente “enuviava” e junto com o mormaço vinha o vento. A poeira vermelha subia e com ela o “redemunho” girando sobre ele mesmo e, dentro dele, o capeta a procura de crianças. Este momento “perigava”: capeta é feio, chifrudo, vermelho, com fogo saindo pela boca, pelos ouvidos. Eu vi… Nós vimos. Cruz credo, se o “redemunho” nos engolisse, o destino era um só: Os tachos de água quente do inferno…Este era o outro mundo, mundo dos “sofredor”. Enquanto corríamos, cruzávamos os dedos e rezávamos o credo. Capeta não gosta de  cruz nem de reza.  Na correria sempre chegávamos  na “Santa Rita”, corrégo estreito, de pouca água, bom pra criança brincar. A noite vinha, o sono chegava. Unaí ficava solitária. No céu , a lua de São Jorge, no chão, a poeira vermelha, nas águas do Rio Preto, o canto da sereia, no cerrado, o sossego sertanejo.  O “nosso mundo” dorme.

 Extraído do livro “Círculo do Sol”

Alda Alves Barbosa

Um pensamento sobre “CÍRCULO DO SOL

  1. Alda ,
    Este livro me fez entender a vida , conheci melhor a
    “… Alda Barbosa”…que me fez entender que não importa se esteja triste ou feliz ,o importante é saber viver e me ensinou que cada segundo ,cada momento da vida,são todos um círculo de grandes lembranças.
    Parabéns , este livro tenho ele como um grande incentivo para a minha vida .
    Que Jesus te abençõe .

Sua opinião é importante para nós. Participe com um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s