Idas e Vindas


Para você meu lindo amigo …

Ontem me despedi de ti. E a cada novo dia eu retorno e novamente me despeço. Estou treinando ir, para retornar cada vez mais forte. Não sinto mais vergonha de retroceder e depois dar mais um passo em tua direção. Estou treinando ser para ti. Enquanto não sou, vou e retorno, sem o “para sempre.” Não tenho certezas de que um dia estarei pronta, mas também não desejo estar assim, pronta. Acho melhor ser como sou e continuar despreparada para te ter, mas sei que caminharemos juntos até que o cansaço da andada nos separe. Tenho muito tempo vivido, meu corpo não tem mais espaços para acolher mudanças. Não posso retirar de mim o que é parte de mim, raízes interligadas que me sustentam na vida. Não posso retirar de mim o que me aquece. Preciso de ti para me cobrir! … Onde não me beijas dói.
Não posso tê-lo só com o dançar das palavras. Preciso ir contigo. Para onde? Não sei, qualquer caminho em sua companhia me faz sentir… Não falarei o que sinto, expor é uma forma de encerrar segredos e eu quero sempre estar nascendo ao teu lado e sendo mistérios. Em mim estão guardados todos os beijos, todos os abraços, porque tenho receio de que sejam sempre os últimos.
Tenho cuidados para não te ferir com minhas fomes. Sigo o ritual de desembrulhar minhas roupas e descobrir sua pele. E me abandono em ti… E não me despeço. Como me despedir de quem me ama por inteira? Acho que não amarei mais ninguém, não conseguiria outra história de amor tão completa! Não poderia dar a outro alguém menos do que recebi de ti. Impossível amar outro porque não há como quitar este amor, amor compreendido e generoso. Sou pequena demais, não tenho como devolver a quietude, a paciência na mesma intensidade de seu amor.
Não posso te devolver tudo isso, não tenho esta grandiosidade.
Vou e retorno a ti.
Não sei me despedir de ti.
Acho que nunca saberei.
Já desliguei telefones, internet, celular
Já me desliguei,
Não de você.

AldaAlves Barbosa

8 pensamentos sobre “Idas e Vindas

  1. Oi Alda bom dia !!!
    resolvi olhar o seu blog hoje, e conclui que vai se tornar vicio.Lendo esse texto fui ficando chocada pois você consegui colocar na tela o que venho fazendo a 18 anos me despedindo e retrocedendo,rsrsrrsrs bonito isso que vc escreveu, não ter vergonha de ir e principalmente de voltar,
    Alda obrigada por existir e levar sua poesia para coraçõezinhos envergonhados por amar demais !!!!!!!

    vou trabalhar agora porque o tempo urge a Rua Grande ( governador Valadares) é grande e a esplanada é um ninho de cobras rsrsrrssrs

    • oi Mõnica,
      Pensei com meus botões: agora que ela já tem o e-mail da Cilene vai esquecer de mim!!! Não esqueceu. Fiquei muito feliz em ler o seu comentário, espero que realmente eu escreva sempre de forma a tocar os corações das pessoas. Pois é, perdi a vergonha, vou, volto, ligo, desligo telefones, celular, internet, só não desligo dos meus amores. A vida ficaria sem tempero se não ousássemos perder a vergonha. O só é tão só! Como diz um amigo meu,” enquanto não acho o certo, vou vivendo com o errado.” E que ninho de cobras, ou covil de… Bjos

  2. Bom dia minha linda ! Dessa vez me sinto incapaz de tecer qualquer comentário diante de uma declaração de amor tão bela que só um coração apaixonado é capaz de traduzir com tanta intensidade. Gostaria que nestas suas idas e vindas meu coração pudesse se encontrar com o seu e formar um só coração para que todos soubessem que nossos corações se uniram num amor infinito……Um grande beijo pra você.

    • Oi, meu lindo
      Poeta é assim mesmo, ama demais, chora demais, ri demais, ama o belo, só uma coisa o poeta não faz: desamar. Tudo é muito intenso em nossa alma e quando apaixonamos então… A paixão é resolvida no poema.Estou falando por mim . Ao poetizar eu me dispo da hipocrisia, característica dos humanos, e me visto de todos os sentimentos do mundo. Nestas idas e vindas eu poeta, sempre encontro um jeito de ficar, não sei se nas idas ou se nas vindas, mas meu coração sempre está, mesmo ficando, pleno de um infinito amor por um certo moreno lindo. Um grande beijo.

  3. Alda,
    Como sempre admiro tudo que escreves, e desta vez não seria diferente, psrabéns por tudo, mas comento o texto você conhece a música do Lindomar Castilho “Nós somos dois sem vergonhas em matéria de amar” Eu também sou assim, é indo e voltando.
    Valeu. Um abraço.
    Orlando – DF 03.02.2010

    • Orlando,
      Claro que conheço este “clássico dos cornos”. quem não conhece acabará conhecendo. Terça-feira fui, na quarta voltei, que horror! E fiz quase tudo que está no texto, desliguei tudo, tirei-o da dos preferidos, mas não o tirei da cabeça. Pronto, lá estava eu de novo indo e voltando… Mas como o seu amigo Leniro andou me contando uns casos seus, olha a música cai como uma luva para você e com certeza para mim tbm. Vamos ser realistas? Prá todos nós, é apenas uma questão de olhar para dentro de nós e então conheceremos esta fragilidade tão humana… Idas e vindas, coisas do amor que nos faz ir à luta, ir para a vida! Já estou poetizando. Não é poesia não, é vida com poesia. Recebi seu e-mail, segunda-feira colocarei no correio, obrigado pela confiança. Um grande abraço meu amigo. Sim, o Romeu é o que vc pensou mesmo. É meu primo,sua mãe e irmãos dele moram ao lado da casa da minha irmã. Minha mãe é sobrinha do pai dele e prima da mãe . Bem àquele ditado,” case sua filha com o filho do vizinho”. Ele mora no Guará e a semana passada ganhou o primeiro netinho. Vovô coruja!!!!!!Me despeço novamente com mais abraços.

  4. Oi Alda..!!Estou a poucos meses aqui em UNAI.E ainda conhecendo o que tem de bom e bonito aqui!! Acho que acabo de encontar esse dois adjetivos juntos em vc !!Gosto muito de escrever e ler tambem coisas assim como as que vc descreve…Parabéns…Que bom seria se todos tivessem sensibilidades assim…

    • Oi Allvan,
      Seja bem-vindo ao nosso cerrado! Espero que neste chão você consiga realizar todos os seus sonhos. Posso lhe afirmar que é um povo acolhedor, alegre e que a grande maioria trabalha para que Unaí consiga crescer em todos os sentidos positivos. Suas palavras me sensibilizaram muito, mas sei que preciso crescer muito ainda em se tratando de literatura, mas se você gosta, eu o agradeço muito. Obrigada por externar os seus pensamentos neste espaço que não é só meu “é nosso”, por isto fique à vontade. Aceito sugestões para matérias. Obrigada e mais uma vez seja bem-vindo!

Sua opinião é importante para nós. Participe com um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s