FILATELIA – CONHEÇA UM POUCO SOBRE A HISTÓRIA DO SELO POSTAL

A origem do Correio ocorre desde o tempo mais remoto, no qual o homem sentiu a necessidade de contato com seus semelhantes, mesmo que eles estivessem distantes…
A necessidade de comunicação entre os seres começou com uma linguagem rudimentar, para transmitir suas mensagens, como: sinais de fumaça nas montanhas e planícies, sons de tambores nas selvas, toscos desenhos em cavernas. Enquanto articulava os sons guturais em busca de uma linguagem, o homem das cavernas já procurava utilizar certos instrumentos como tambores, sinais de fumaça ou deixava marcas para transmitir suas mensagens, originando o que a evolução classificou de “meios de comunicação”. A história dos correios remonta aos mais antigos impérios do Oriente, já existindo no Egito 4.700 anos antes de Cristo, em uma época em que os “velozes” mensageiros – os sigmanacis – levavam as mensagens a pé, a cavalo ou montados, em camelos…
Os egípcios foram responsáveis pelo descobrimento de um material revolucionário, leve, prático e muito apropriado para a escrita: o papiro. Substituindo, assim, as plaquetas de barro e as pedras onde eram gravadas as mensagens.
Na China, os Imperadores utilizavam mensageiros montados em cavalos velozes, para transportar suas correspondências. Quando os animais se cansavam, eram substituidos por outros durante todo o trajeto.
Quando o Império Romano já ocupava a maior parte das terras conhecidas, o Imperador César Augusto, implantou um serviço postal ligando a corte a todos os postos espalhados pelo território. Foram construídas estações postais ao longo das estradas, onde os mensageiros trocavam de cavalos, descansavam e seguiam até o seu destino final. Foram os romanos que inauguraram o primeiro serviço postal marítimo. As mensagens eram escritas em pergaminhos ou gravadas com estilete em tábua revestida de cera e, se fossem urgentes, eram transportadas em bigas, isto é, carros puxados por dois animais.
O serviço de correio a cavalo proliferou com o advento do feudalismo. Foi criado o Estafeta Particular, que eram correios particulares, organizados, mas restritos apenas aos reis, à nobreza e à Igreja. Com a decadência do feudalismo, foram surgindo novos serviços postais, sendo um dos mais famosos o implantado pela família Torre e Tasso (Thurn und Taxis)…
Até há uns 150 anos a entrega de cartas era muito incerta. O transporte era feito por mensageiros ou carruagens, chamadas de Diligências Postais, que também transportavam passageiros, como na Inglaterra, por exemplo. Muitas vezes essas carruagens eram assaltadas e as cartas se perdiam no caminho. Após a Revolução Industrial, em meados do século XIX, as carruagens foram substituídas pelas locomotivas.
Entre os meios de comunicação existentes houve o transporte “aéreo” através de andorinhas bem treinadas e, mais tarde, dos pombos-correio, até hoje acionados em diferentes emergências…
O colecionismo de selos é eruditamente chamado de FILATELIA. Filatelia é uma palavra criada na França que tem sua origem nas palavras gregas PHILOS (amigo) e ATELIA (taxa, marca, selo) ou TELOS (imposto) ou ATELEIA (franqueamento, isenção de imposto).
O substantivo Filatelia significa arte, ciência, mania de colecionar selos postais e peças que tenham relacionamento com franqueamento postal. É usada em todo o mundo para denominar o colecionismo de selos postais. Filatelia é um hobby que consiste em colecionar selos, colecionador de selos; estudo, análise e pesquisa de selos de correio.

CONTINUA AMANHÃ…

Pesquisa feita no http://www.girafamania.com.br

Sua opinião é importante para nós. Participe com um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s