Cagadinha caipira

2010_dia_do_poeta

Eis a mata cheia de finas flores amarelas,
Intensas cigarras numa algazarra sonora,
Beleza pura, rara, de algumas citronelas,
O horizonte infinito vai vegetação a fora…

Fiquei ali pensando tão belo o meu sertão,
De veredas sinuosas: Avenidas consoantes,
Igarapés ao longe fazem uma bela canção,
Similar a que se faz na janela às amantes…

A ansiar folgado sinto que acabou o filme,
Não me resta, além disso, figurante papel,
Alcanço que uma história sertaneja viu me.

Desarticulo canhoto pelo capão até o céu,
Sem admirar pra trás num caminhar firme,
Continuo a marchar num compasso cruel.

Auro Sérgio – Poeta unaiense.

Sua opinião é importante para nós. Participe com um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s