Instinto Suicida

cronicas-da-dani

Pablo Neruda em Isla Negra

Pablo Neruda em Isla Negra

Mar… Imensidão de azul e vazio. As ondas grandes quebrando revoltas nas pedras de Isla Negra. Sentada em frente aos corpos do escritor Pablo Neruda e de seu amor Matilde Urrutia, tive a sensação de que as ondas iriam me engolir. E eu que tenho certo pânico e encantamento profundo pelas águas, não tive medo. Queria que ela me engolisse por inteiro no  lugar onde o coração transbordava. Dizem que todos tem instinto de sobrevivência. Afirmo o contrário: todos tem instinto suicida. Não me tomem como uma pessoa louca, negativa que faz apologia à morte. Muito ao contrário, sou defensora da vida. Mas… Ah! Como queria que meus olhos que não obedeciam e insistiam em marejar fossem completamente recobertos pelo azul! Morreria insanamente feliz, teoricamente livre e em lugar desconhecido.
A água brava parecia ter raiva do mundo. Gelada como atitudes corrompidas nos últimos tempos. Sentada em frente à corpos que se amaram loucamente me deliciava com o instinto suicida.
Adeus areia impregnada de história, adeus Isla Negra! Retorno ainda hoje ao instinto de sobrevivência… Infelizmente!
Danielle Rezende
Galeria:

Sua opinião é importante para nós. Participe com um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s