Nunca termina de doer…

968990_479352022137611_1025455114_n
Palmeiras dançando… trovões tão suaves que parecem afastamento… brisa para amenizar minha angústia excessiva. Gotas d’água caindo dos céus. Aroma de terra molhada no asfalto, hálito refrescando meu corpo e roubando-me a paz. Chuva me traz paz… chuva me traz dor. Dói-me o coração… dor de saudade. Sombras que permeiam cada gota de chuva – gosto de lágrimas. Lágrimas paternas, maternas, que derramam nesta madrugada difusa, longínqua… Fluxo e refluxo das ausências que nunca terminam de doer.

Continua a cair ó pingos de chuva! Preciso sentir tudo. Preciso despir-me, entregar-me ao canto quase silencioso das gotas de saudade que chegam dos céus para que eu possa acenar o lenço úmido de todas as despedidas!

Alda Alves Barbosa

Sua opinião é importante para nós. Participe com um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s