O precioso valor da água

c3a1rvore-do-cerrado

Incêndio na Serra da Canastra - MG

Incêndio na Serra da Canastra – MG

Enquanto eminentes dignitários discutem nas Nações Unidas o futuro do clima no mundo, aqui em Minas surgiu um exemplo concreto do nível de degradação a que está submetido o meio ambiente. A notícia de que a nascente principal do rio São Francisco está secando pela falta de chuvas é um fato emblemático do aquecimento global. Mostra que aquilo que parecia estar longe de nós agora é bem palpável.

O administrador do Parque da Serra da Canastra, onde fica a nascente, disse que as queimadas estão agravando a situação de estiagem. Mas o regime de chuvas é alterado também pelo chamado efeito estufa, que desarranja as forças meteorológicas. Já está provado que a degradação das matas e florestas, como a amazônica, afeta a precipitação pluviométrica. E estamos vendo isso agora, na Grande BH, onde a água está rarefeita e os incêndios se multiplicam.

Segundo apurou a reportagem do Hoje em Dia, foram queimados 70 mil hectares de vegetação em reservas florestais no Estado somente neste ano. A vegetação favorece o surgimento dos vapores de água, possibilitando a formação das nuvens de chuva. Com pouca chuva, os incêndios se proliferam, criando-se um círculo vicioso.

Mais de 120 chefes de Estado e de governo se reuniram na ONU para debater o clima, mas muitos países se recusam a reconhecer o aquecimento global. Ou não aceitam reduzir a emissão de gases poluentes, por serem o motor de seu desenvolvimento econômico. É o caso de China e Índia, que enviaram funcionários de segundo escalão ao encontro. Os dois formam com os EUA o grupo de maiores emissores de poluição.

Essa reunião de cúpula climática é o embrião de um acordo que deverá ser firmado em Paris no ano que vem. Mas ele só entrará em vigor em 2020. Os ambientalistas alertam, entretanto, que o planeta não pode esperar.

Reportagem desta edição mostra que já há um racionamento velado em bairros da capital. A Copasa garante que isso não existe, mas em outras cidades da Grande BH a crise de abastecimento é real, como mostrou o Hoje em Dia na edição dessa terça-feira (23). Então é hora de todos se mobilizarem para adotar um consumo consciente de água, sem lavar passeios com jatos do precioso líquido, por exemplo. A atitude responsável pode fazer a diferença, enquanto aguardamos as chuvas de final de ano, que parecem cada vez mais preciosas.

Editorial
Jornal Hoje em Dia
portal@hojeemdia.com.br

Dia Mundial da Água

sustentabilidade

saae_03

SAEE comemora o dia mundial da água – Sede da ETA

A água, assim como o Sol, é um recurso natural indispensável à vida no planeta Terra. Possui um enorme valor econômico, ambiental e social, fundamental à sobrevivência do Homem e dos ecossistemas no nosso planeta. As primeiras formas de vida surgiram nos oceanos há cerca de 4 milhões de anos. A água é fundamental porque é um recurso natural único, escasso e essencial à vida de todos os seres vivos. Por muitos milhares de anos, subsistiu a ideia de que a água era um recurso infinito, esta ideia tinha como base a abundância deste recurso natural na Natureza.

Nos nossos dias, o desperdício aliado ao aumento na procura deste recurso, tornou-se num problema que requer a atenção de todos, devido à decrescente disponibilidade de água doce no nosso planeta. Se tivermos em conta que diariamente usamos a água nas mais diversas atividades na nossa vida (higiene pessoal, alimentação, rega e limpeza, indústria e agricultura), e nem sequer temos a noção da sua importância, temos aqui a prova de que ainda temos muito que aprender relativamente à importância deste recurso na nossa sobrevivência.

A água transforma tudo. Sem acesso a ela, somos nada.
A água transforma tudo. Sem acesso a ela, somos nada.
A água é fonte da vida. Não importa quem somos, o que fazemos, onde vivemos, nós dependemos dela para viver. No entanto, por maior que seja a importância da água, as pessoas continuam poluindo os rios e suas nascentes, esquecendo o quanto ela é essencial para nossas vidas.

A água é, provavelmente o único recurso natural que tem a ver com todos os aspectos da civilização humana, desde o desenvolvimento agrícola e industrial aos valores culturais e religiosos arraigados na sociedade. É um recurso natural essencial, seja como componente bioquímico de seres vivos, como meio de vida de várias espécies vegetais e animais, como elemento representativo de valores sociais e culturais e até como fator de produção de vários bens de consumo final e intermediário.

Segundo estatísticas, 70% do planeta é constituído de água, sendo que somente 3% são de água doce e, desse total, 98% está de água subterrânea. Isto quer dizer que a maior parte da água disponível e própria para consumo é mínima perto da quantidade total de água existente na nossa Terra. Nas sociedades modernas, a busca do conforto implica necessariamente em um aumento considerável das necessidades diárias de água.

Os recursos hídricos têm profunda importância no desenvolvimento de diversas atividades econômicas. Em relação à produção agrícola, a água pode representar até 90% da composição física das plantas. A falta d’água em períodos de crescimento dos vegetais pode destruir lavouras e até ecossistemas devidamente implantados. Na indústria, para se obter diversos produtos, as quantidades de água necessárias são muitas vezes superiores ao volume produzido.

Observando os dados abaixo, percebemos que precisamos começar a utilizar a água de forma prudente e racional, evitando o desperdício e a poluição, pois:

– Um sexto da população mundial, mais de um bilhão de pessoas, não têm acesso a água potável;
– 40% dos habitantes do planeta (2.400 milhões) não têm acesso a serviços de saneamento básico;
– Cerca de 6 mil crianças morrem diariamente devido a doenças ligadas à água insalubre e a um saneamento e higiene deficientes;
– Segundo a ONU, até 2025, se os atuais padrões de consumo se mantiverem, duas em cada três pessoas no mundo vão sofrer escassez moderada ou grave de água.

A ÁGUA NO MUNDO

No dia 22 de março, é comemorado o dia mundial da água. Se hoje os países lutam por petróleo, não está longe o dia em que a água será devidamente reconhecida como o bem mais precioso da humanidade.

A Terra possui 1,4 milhões de quilômetros cúbicos de água, mas apenas 2,5% desse total é doce. Os rios, lagos e reservatórios de onde a humanidade retira o que consome só correspondem a 0,26% desse percentual. Daí a necessidade de preservação dos recursos hídricos. Em todo mundo, 10% da utilização da água vai para o abastecimento público, 23% para a indústria e 67% para a agricultura.

A água doce utilizada pelo homem vem das represas, rios, lagos, açudes, reservas subterrâneas e em certos casos do mar (após um processo chamado dessalinização). A água para o consumo é armazenada em reservatórios de distribuição e depois enviada para grandes tanques e caixas d’água de casas e edifícios. Após o uso, a água segue pela rede de captação de esgotos. Antes de voltar à natureza, ela deve ser novamente tratada, para evitar a contaminação de rios e reservatórios.

A ÁGUA NO BRASIL

O Brasil é um país privilegiado no que diz respeito à quantidade de água. Tem a maior reserva de água doce da Terra, ou seja 12% do total mundial. Sua distribuição, porém, não é uniforme em todo o território nacional. A Amazônia, por exemplo, é uma região que detém a maior bacia fluvial do mundo. O volume d’água do rio Amazonas é o maior do globo, sendo considerado um rio essencial para o planeta. Ao mesmo tempo, é também uma das regiões menos habitadas do Brasil.

Em contrapartida, as maiores concentrações populacionais do país encontram-se nas capitais, distantes dos grandes rios brasileiros, como o Amazonas, o São Francisco e o Paraná. O maior problema de escassez ainda é no Nordeste, onde a falta d’água por longos períodos tem contribuído para o abandono das terras e para a migração aos centros urbanos como São Paulo e Rio de Janeiro, agravando ainda mais o problema da escassez de água nestas cidades.

Além disso, os rios e lagos brasileiros vêm sendo comprometidos pela queda de qualidade da água disponível para captação e tratamento. Na região amazônica e no Pantanal, por exemplo, rios como o Madeira, o Cuiabá e o Paraguai já apresentam contaminação pelo mercúrio, metal utilizado no garimpo clandestino, e pelo uso de agrotóxicos nos campos de lavoura. Nas grandes cidades, esse comprometimento da qualidade é causado por despejos de esgotos domésticos e industriais, além do uso dos rios como convenientes transportadores de lixo.

Comemoração do dia da água no Brasil

O Brasil comemora nesta sexta-feira (22) o Dia Mundial da Água. Com aproximadamente 12% da água doce do planeta, o País tem o desafio de pensar a gestão dos recursos hídricos em seus mais diversos usos, garantindo o acesso a água e promovendo seu uso sustentável para as atuais e futuras gerações. No ano em que as celebrações giram em torno do tema “Água e Energia”, conforme definição da Organização das Nações Unidas (ONU), a sociedade brasileira muito tem a refletir sobre os usos que têm sido feitos desse recurso.

Em comemoração à data, diversos eventos já acontecem no Brasil inteiro desde o dia 13 de março. Destaque para o hotsite Águas de Março, da Agência Nacional de Águas (ANA), cuja proposta é agregar eventos promovidos por instituições federais, estaduais, municipais ou por organizações não governamentais e difundi-los à sociedade em geral.

Em sua oitava edição, o hhotsite de 2014 traz a temática “Água e Energia. Fonte: http://brasildasaguas.com.br/educacional

Cachoeira das Pedras - Uruana-MG

                                                         Cachoeira das Pedras – Uruana de Minas – MG

images do Rio PretoRio Preto – Unaí – MG