Dia das Saudades

livroaberto-copy
Novamente o domingo…
Para quem tem saudades
Domingo é o dia das ausências
E eu que já tenho idade para o saudosismo
Fico na cama lendo
Escrevendo
Dormindo
Sentindo nostalgia…

O novo domingo já amanheceu…
Eu abraço o nada
Porque neste dia
O nada é tudo que eu tenho!
Quero de volta os domingos dos ontens
No teu colo
no teus braços
no teu corpo
na tua poesia!

Alda Alves Barbosa

Lançamento do romance “Permita-se”, da jovem escritora unaiense Bárbara Couto

13820467_884457374991527_1259026914_n 02

No dia 21 de julho, quinta-feira, a Tecelagem de Unaí abriu seu espaço para outra arte: a literatura. E a Academia de Letras de Unaí e Região – ALUR estava lá cumprindo o seu objetivo maior que é o de incentivar o “nascimento” de novos escritores e novos poetas.

Num ambiente impregnado pela beleza das letras, Bárbara Couto mostra a nós unaienses seu primeiro livro. Numa narrativa envolvente sobre um tema atual, a violência contra a mulher, a autora de “Permita-se” não só denuncia essas violências – físicas e psicológicas – como também mostra caminhos, através da personagem, para sair das terríveis condições de dependências a que a mulher fica submetida. Caminhos estes longos e cheios de percalços, mas enfim o viver sobre a “égide da liberdade” com todas as responsabilidades que lhe são inerentes.

A Academia de Letras de Unaí e Região – ALUR compartilhou destes momentos significativos com o Cerimonial:

Mestre de cerimônias – Lucian Grillo;

Maestro Elias – No saxofone com a música “Carinhoso”;

Alda Alves Barbosa – Fala sobre o tema e a transformação deste tema num romance;

Ana Maria de M. Carvalho – Recitou a poesia de Cássia Janeiro –  “Mulheres”

Leninha Sousa – Leitura da orelha do livro “Permita-se” escrito por Ana Maria Moraes de Carvalho;

Leninha Sousa – Recitou uma poesia de sua autoria;

Bárbara Couto – Apresentação do  romance “Permita-se”;

Cleusa Oliveira –  Poesia – “Bárbara bela”;

Maestro Elias – Encerramento com a música “Poderosa” de autoria Ivan Lins;

Venda dos livros e autógrafos;

Chá acompanhado de deliciosos biscoitinhos.

A imprensa unaiense esteve presente através da TV Rio Preto, Mais TV e o Portal  Unaí.

Texto de Alda Alves Barbosa.

Fotografia –  Ilma Costa

Galeria:

 

Porque te amo, Unaí

11168399_757694571001142_4698972934243929642_n

Boca da Ponte

Ó doce e quente Unaí, nenhum braço, nenhuma mão pode constranger-te porque tu és livre. Se nossos pés tocam teu solo é com a tua permissão; ninguém ousa afirmar que tomou posse de ti.

Sim, tu és livre para permitir que o sol escaldante derrame teus raios ardentes sobre ti; tu és livre para tecer asas e voar como os poetas… Não permita, ó doce Unaí, que nenhum de nós que deita sobre teus seios subtraia o respiro e te sufoque com falsos abraços; não consinta que mãos impuras te acariciem com gestos desordenados, tristes…

E tu me diz: – Já cortaram-me as sombras, já extinguiram os meus negros frutos, já extirparam os meus cachos cor de ouro…
E eu te digo: – Cortaram-te, extirparam-te, deixaram-te nua, mas te resta o solo calcário, o Rio Preto e tuas asas!

Voa, doce Unaí! Segure nas asas do sonho e costure versos para ti! Quem não te vê como poesia não conseguirá tocar-te!

Alda Alves Barbosa

Namorados… Namoridos

rosas-vermelhas
[…] e corra para os braços de quem deseja o aconchego e a ternura do seu olhar! Permita-se vivenciar o sonho de construir pontes, atravessar horizontes ao encontro de si – ao encontro do outro. Ambos com corações famintos!
Feliz dia dos namorados! Será tudo poesia? Que seja… Alimente-se de poesias… Presenteie com poesias… Viva com amor…Amor… chama poética!

two black kittens, beautiful black kitty hanging on red heart - ballon on gray background - vector illustration